Fiasco absoluto: desemprego e informalidade batem recorde após 9 meses de governo Bolsonaro


A taxa de desemprego no Brasil ficou em 11,8% no trimestre encerrado em setembro, atingindo 12,5 milhões de pessoas, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (31) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa é a mesma registrada nos três meses terminados em agosto. Na comparação com o mesmo período de 2018, a taxa de desemprego sofreu leve redução, de apenas 0,1 ponto percentual.

 Os dados mostram que o desemprego segue persistente, e as vagas criadas são precárias. Na comparação com o mesmo trimestre de 2018, houve aumento de 1,5 milhão de pessoas na população ocupada, que atingiu o recorde de 93,8 milhões – mas essa alta segue sendo puxada pela informalidade, que ficou em 41,4% em setembro (mesma taxa dos três meses encerrados em agosto), e vem crescendo nos últimos anos.

“Tanto em termos de taxa como do contingente associada a ela, é recorde”, enfatizou a analista do IBGE, Adriana Araújo Beringuy.

0 comentário em “Fiasco absoluto: desemprego e informalidade batem recorde após 9 meses de governo Bolsonaro

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: