Extrema pobreza bate recorde e já atinge 13,5 milhões de brasileiros

Reportagem do jornal “O Globo” hoje mostra que o Brasil tem na extrema pobreza o equivalente a mais que as populações de países como Portugal, Grécia e Bolívia”, como destacou o pesquisador Leonardo Queiroz Athias, analista da Coordenação de População e Indicadores Sociais do IBGE. O rendimento médio dessas pessoas foi de R$ 69 por mês – bem abaixo do padrão definido pelo Banco Mundial para estabelecer o recorte de pobreza. Pelos critérios da instituição, são considerados extremamente pobres aqueles que vivem com até com até US$ 1,90 por dia – o equivalente a cerca de R$ 145 por mês.

O número de pobres, que vivem com menos de US$ 5,50 por dia, pelos critérios do Banco Mundial, diminuiu em 1 milhão de brasileiros. Porém, as famílias em situação de pobreza ficaram mais pobres – e, por isso, o número de miseráveis aumentou. Em 2014, 4,5% da população estavam na extrema pobreza. No ano passado, eram 6,5%. Os dados permitem traçar um perfil da extrema pobreza do país: majoritariamente composta por pretos e pardos (75%), com idade até 59 anos (96%) e sem instrução ou com o ensino fundamental incompleto (60%). Segundo Leonardo Athias, 13,6% dos brasileiros em situação miserável possuíam alguma ocupação em 2018. Só que muitos desses vínculos eram informais, com remunerações baixas. Em 2018, dois em cada cinco trabalhadores estavam nessas condições.

3 comentários em “Extrema pobreza bate recorde e já atinge 13,5 milhões de brasileiros

  1. retardado, olha o ano base da pesquisa Zé Ruela!

  2. João Batista de Resende

    O PROBLEMA DO BRASIL É QUE O GOVERNO TEM QUE PEDIR EMPRESTADO AOS RICOS O DINHEIRO QUE DEVERIA COBRAR DELES EM IMPOSTOS. CADE O IMPOSTO SOBRE LUCROS E DIVIDENDOS?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: